O ESTRANHO ANO DE VANESSA M.

No seguimento da promessa que este Verão fiz a mim mesma de dedicar um pouco mais de tempo da minha vida à leitura, terminei ontem o livro que me tem acompanhado nestas últimas semanas, "O Estranho ano de Vanessa M." E não consegui deixar de sentir o que a Beatrix Potter dizia sempre que terminava um livro; “I do so hate finishing books. I would like to go with them forever” Pois no fim, quando se gosta de um livro, fica-se assim com uma espécie de saudade.
Através dos meios de comunicação social já tinha ouvido falar de Filipa Fonseca Silva, por ter sido a primeira escritora portuguesa a entrar no Top 100 da Amazon. Tal feito chamou-me a atenção e aguçou-me a curiosidade. Que tipo de livro teria conseguido tal proeza? A verdade é que quando há umas semanas atrás este livro me veio parar às mãos não hesitei muito em comprar. O bom título e a boa capa ajudaram-me na escolha mas confesso que acima de tudo, estava curiosa.
A pequena sinopse na contracapa revelava palidamente o que iríamos encontrar: uma personagem de nome Vanessa que enveredava numa viagem interior de autodescoberta que a faria refletir sobre o sentido da sua vida e das escolha que até então tomara. Prometia. Geralmente gosto de personagens que se encontram naquilo que podemos chamar de crise. E assim, frase após frase, página após página, fui conhecendo e acompanhando os dilemas, dúvidas, medos e escolhas de Vanessa, que ao longo de 9 meses (o tempo de gestação da sua nova vida) revoluciona por completo aquilo que tinha sido a sua vida até então. Com sentido de humor e inteligência, Filipa Fonseca Silva faz-nos ganhar um carinho especial pela nossa heroína, e consegue surpreender-nos até ao final do livro. E foi esse um dos aspetos que mais gostei, é que este não é um livro previsível. A poucas páginas do fim o coração ainda bate curioso e expectante em relação ao seu desfecho.
No final aprendemos com Vanessa que a mudança acarreta algum sofrimento mas que também é libertadora e ajuda-nos a evoluir. Que as escolhas que fazemos têm sempre um preço e implicam inevitavelmente ganhos e perdas. E que seguir a nossa verdade interior em detrimento das opiniões dos outros é a única forma de sermos fieís a nós próprios e alcançarmos a felicidade pretendida.
Obrigado Filipa pelo teu livro que tornou estes meus dias mais empolgantes e animados!



O outro livro da autora já está na minha lista :)

Sem comentários