WEEKEND REVIEW

Mar, metade da minha alma é feita de maresia
Sophia de Mello Breyner


Alguns filósofos pré-socráticos, como Tales de Mileto, acreditavam que a água era o princípio e origem de todas as coisas. Mais tarde, já no século XX, também os cientistas Oparin e Haldane, postulam uma teoria indicadora do surgimento da vida na água. Ao pensar na percentagem que este elemento cristalino ocupa no nosso corpo (cerca de 70%) podemos concluir, mesmo sem a prova que as nossas origens tenham sido aquáticas, que trazemos um pequeno oceano dentro de nós. 



O que talvez explique o prazer que a proximidade da água nos provoca. Começámos o fim de semana ao pé da água, na Cascata da Pedra da Ferida (em Espinhal), e terminámos acima das nuvens com um oceano gigante e infinitamente belo à nossa frente, no Miradouro do Suberco, na Nazaré. Pelo meio visitámos as pitorescas Aldeias de Xisto da Lousã, alheias ao tempo e ao passar dos dias; percorremos trilhos romanos em Conímbriga, cujos espetaculares mosaicos nos deixaram fascinados, e visitámos o Europaradise, em Montemor-o-Velho. E regressámos a Lisboa renovados e de alma cheia, com a frase de Sophia de Mello Breyner no coração.





Cascata da Pedra da Ferida, em Espinhal
Lousã
Taberna Burguesa, na Lousã





Ruinas romanas, Coímbriga


Europaradise, Montemor-o-Velho


Miradouro do Suberco, Nazaré

Imagens | Homes in Colour

Sem comentários