Apenas uma resolução para 2017

Now is where it all begins
Now is where the journey starts
Now is what will be remembered
Kay Neeves


No início do ano geralmente todos gostamos de estabelecer objetivos aos quais, frequentemente, damos o nome de resoluções de ano novo. Acredito que pelo menos uma vez na vida, a maioria de nós já tenha experimentado fazer uma lista grande e simpática de resoluções a cumprir. E também acredito que quase ninguém as tenha conseguido manter todas certinhas até ao final do ano seguinte, certo? Digo isto não só por experiência própria, mas também pela experiência daqueles que me rodeiam. E porque é que será que acabamos por deixar cair em saco roto decisões que são importantes (e muitas vezes fundamentais) para nós? A inércia, como sabemos, não ajuda, e mudar é tremendamente difícil.

Por isso hoje partilho convosco uma perspetiva pessoal sobre este assunto, assim como uma pequena sugestão para contornar o problema. Porque tal como acontece no design, também na vida menos é sempre mais, e simplificar é geralmente o melhor caminho a tomar.


Tenho a certeza de que um dos erros fundamentais que cometemos é estabelecer demasiados objetivos ao mesmo tempo. Se mudar UM aspeto da nossa vida já é difícil, imaginem mudar três, quatro ou doze de uma vez só num ano. Temos que aceitar que é uma tarefa irrealista e altamente improvável. Temos que ser um pouco menos exigentes connosco próprios.

Por isso cheguei à conclusão que o estabelecimento de apenas UM GRANDE OBJETIVO para cada novo ano que começa (ao qual nos possamos dedicar de corpo e alma) é o caminho mais acertado para o conseguir cumprir. Alguns poderão achar pouco ambicioso, mas tentem verdadeiramente mudar uma coisa a sério na vossa vida e vejam o quão difícil é.


Antes de escrever este post fui olhar para algumas resoluções de anos anteriores que ainda tenho escritas à mão nas minhas dezenas de caderninhos, e por exemplo em 2013, no meio de uma lista interminável onde também se pode ler "aprender a cozinhar" e "beber mais água" lá estava escrito, na minha letra miúdinha: "começar um blog". Claro que os dois primeiros ficaram perdidos pelo caminho, assim como os restantes da longa e irrealista lista. O blog, no entanto, manteve-se firme e sólido até hoje.

Por isso, para este ano, escrevi na minha lista APENAS UMA RESOLUÇÃO à qual sei que me irei manter fiel pelos próximos 12 meses. Apenas uma, mas suficientemente desafiante para se manter viva dentro de mim o tempo necessário para se cumprir e transformar a minha vida. Como um compromisso.

Imagens de Janne Olander para a Stadshem

Porque acredito que quando nos dedicamos o suficiente para mudar um aspeto em particular da nossa vida (seja perder peso, mudar de emprego, iniciar um hobbie, comer de uma forma mais saudável, etc) é inevitável que outros aspetos da nossa vida também comecem a mudar, e geralmente acabamos por sem querer (e quase por acaso) acabar por cumprir muitas das outras resoluções que estavam na lista e que de outra forma nunca teríamos conseguido.

Concordam ou nem por isso? Qual a vossa experiência e perspectiva sobre este assunto? Se quiserem partilhar, deixem a vossa opinião nos comentários. Bom fim de semana!

Sem comentários