Do DESIGN / Why beauty is te key to everything

We don´t think beauty - we feel it, we sense it, we know it
Alan Moore

Imagem Homes in Colour

Primeiro foi o título  me chegou a atenção. Depois foram pequenas frases que li no seu interior através das plataformas de venda de livros online que geralmente têm sempre um "look inside" . Só depois decidi comprá-lo através do Book Depository (onde sempre faço as minhas compras de livros estrangeiros). Li-o relativamente rápido numa tarde nos jardins da Gulbenkien. Não sendo excepcional, não deixa de ser uma bela reflexão em torno de um dos temas mais falado na arte e no design: a beleza. 

Como diz o autor, as coisas belas são preparadas com amor. O ato de criar algo belo é uma forma de trazer algo de bom ao mundo. Infundida em otimismo, a beleza diz, simplesmente, que a vida vale a pena. Os objetos belos sobrevivem e transcendem os seus criadores. São uma dádiva que eles oferecem ao mundo. A beleza é resiliente e afirmativa e expande a vida.
Ask yourself this simple question: do I want a beautiful meal or a dreary one? A beautiful relationship or an ugly one? To live a beautiful life or an average one? To work for a remarkable business, product or service or a mediocre one? There is of course range in what we call beauty, but in the end the truth is that beautiful things endure. Alan Moore

Psyche reanimada pelo beijo do Amor, Antonio Canova, 1793

Return to the Roots of Design

Grandes cientistas como Albert Einstein e Paul Dirac criaram teorias sobre o funcionamento do nosso universo que são tão belas que muitos dizem ser autênticas obras de arte. A teoria da relatividade de Einstein é uma belíssima descrição de como o Universo funciona de uma forma elegantemente simétrica. Harmonia, simetria e matemática, tudo aponta para uma elegância atómica.

O filósofo Ralph Waldo Emerson diz que a questão da beleza nos faz pensar não só na superfície das coisas mas também naquilo que nos leva a criá-las. Por isso, o bom design tem sempre a beleza e a harmonia por base e pode tocar as nossas vidas de uma forma muito particular.

By returning to our roots of making, crafting and designing, our world would be a better place to live. We can use design to work on behalf of human spirit, to uplift us physically and spiritually, to connect us to our human nature. Alan Moore
O design eleva-nos, nutre-nos e melhora a nossa vida, interligando a nosso bem estar físico e espiritual.

Colheres de madeira feitas à mão por  Harriot Grace

The enduring utility, honesty and beauty in Shaker design

William Morris uma vez disse: "Have nothing in your house that you do not know to be useful or believe to be beautiful". As palavras deste artesão extraordinário atravessaram o Atlântico e fizeram eco dentro da comunidade Shaker, criada nos Estados Unidos no final do século XVIII, que desenvolveu uma estética muito própria com base numa economia auto-suficiente em que todo o mobiliário, ferramentas e meios de produção eram fabricados artesanalmente de uma forma simples e consciente. Todas as peças criadas nesta comunidade caracterizavam-se pela qualidade na escolha das matérias primas, pela depuração formal, pelo rigor e simplicidade. O resultado: peças extraordinárias dentro de uma estética minimalista incontestável, feitas para durar.

Their work transformed common objects into works of uncommon grace. The effort of a Shaker craftsman was dependent not only on style but truth. Alan Moore

Soluções originais de arrumação dos shakers, que colocavam as
peças de mobiliário na parede quando não estavam a ser utilizadas

The Great Stillness

Para Tashi Mannox, mestre de caligrafia tibetana, o bom trabalho nasce sempre de um lugar de total calma interior, onde a acção da mão é sempre totalmente direcionada pela energia do coração. Como ele diz:"I belive great work comes from a place of stillness."

How you pick up a tool will shape how you use it and what you make with it. Pick up a tool with truth and beauty in your heart, work with positive energy and optimism and  then observe the results. Alan Moore 

The world is sensual and textured

Quando criamos qualquer coisa devemos ter sempre em conta que nós, enquanto seres humanos, nos ligamos ao mundo através dos sentidos e que o interface com o design somos nós próprios. A todo o instante os nossos corpos estão atentos a tudo o que passa à nossa volta: temperatura, sabor, peso, leveza, pressão, sons, etc. O gosto e as sensações estão ativas 24h horas por dia e é assim que criamos uma noção do mundo. Desenhar para os sentidos não é uma fraqueza, mas o verdadeiro propósito.  Basta imaginar o prazer de uma criança a brincar com um touch screen desenhado para o design sensual e intuitivo dos seus dedos ou dormir na suavidade de uma cama com um bom design forrada com lençóis de linho e seda. 

Good design is when you design for others to feel, to experience with their senses, perhaps even to be pleasantly surprised - a joyful experience.  This joyfulness convertes always into goodwill, warm memories and, if you are so inclined, cash. Alan Moore
The Master of Materials

Design is based upon resolving how someone is going to use something. Great design is describing that very best experience fot them. Alan Moore

Escultura de Papel de Richard Sweeney

E isso muitas vezes implica resiliência, coragem e recusa de aceitar que determinadas coisas não podem ser feitas em determinados materiais. Porque é assim que se avança. Encontrar os materiais certos e conseguir aplicá-los ao serviço da nossa visão é fundamental para criar coisas belas. Pensemos numa folha de papel. Nas mãos de uns apenas se pode transformar num avião de papel. Nas mãos de outros, através da técnica do origami, pode-se transformar numa bela escultura.

Practices to create enduring beauty

Porque a beleza e o bom design parecem tão simples, geralmente confundimo-los com serem fáceis de realizar. Não há dúvida que todos temos dons, mas só quando os praticamos diariamente é que desenvolvemos a capacidade de ver, desenhar e a criar um trabalho do qual nos podemos orgulhar e que seja de alguma forma útil ao mundo. Aqui ficam algumas práticas em tópicos (no livro cada uma delas está desenvolvida), segundo Alan Moore:

* be curious about the world
*develop an ability to adapt
*observe
*start with optimism
*only work with good people
*let go fear
*be open
*embrace what you create

Boas férias a quem, como eu, começa hoje as suas!

Sem comentários