But first, green tea


Gosto bastante de ler a revista Sábado (para além de uma mão cheia de outras como a Flow, a Milk, a Kinfolk, a AD Espanhola, a Elle Decoration inglesa, a Attitude, etc..) e neste Verão, sentada na praia a apanhar uns bons banhos de sol (que saudades desses dias!...) houve um artigo em particular dessa revista que me chamou a atenção. Intitulado "Estes Medicamentos vêm no Prato", o artigo falava no impacto que a ingestão de determinados alimentos pode ter no nosso corpo. O tema não é novo, bem sei, mas a verdade é que gostei de saber (e desconhecia) que um dos vários motivos que apontam para o facto das asiáticas apresentarem menores índices de cancro da mama em relação a nós, ocidentais, terá a ver, entre doutras coisas, com o facto de beberem chá verde, que contém polifenóis que são antioxidantes. A ingestão de soja assim como o de cogumelos brancos é outro dos motivos apontados. Sabiam?




Não sendo fundamentalista em nada que se relacione com a alimentação, e independentemente da veracidade dos estudos apontados no artigo, achei no entanto interessante começar a beber um pouco mais este tipo de chá, nem que seja para colmatar a falta de líquidos que, no geral, o meu corpo recebe. Quando umas semanas depois de ter lido o artigo fui de férias para os Açores (podem rever os posts da viagem aqui e aqui) adorei a coincidência de ter descoberto que na Ilha de São Miguel, mais precisamente na Gorreana, se produz e exporta mundialmente chá de primeira classe e que, para além de ser a mais antiga é, atualmente, a única plantação de chá da Europa (que orgulho!...).


Produzido sem o uso de quaisquer herbicidas, pesticidas, fungicidas, corantes ou conservantes e colhido entre Abril e Setembro, o chá (preto e verde) da Gorreana é um produto 100%orgânico. Escolhidos à mão e isentos de químicos, estes chás têm merecido o reconhecimento internacional desde a altura em que a arte de cultivar chá foi introduzida nos Açores por dois especialistas chineses em 1874.


Comprei vários pacotes e, desde que regressei de viagem, bebo quase todos os dias uma chávena deste chá português adoçado com mel. Adoro a embalagem retro e acima de tudo gosto de saber que estou a beber um chá natural, sem qualquer tipo de químicos. Cá no continente sei que existem à venda nas lojas da Vida Portuguesa. Se souberem de mais algum sítio avisem-me, que gostava de saber. Aqui abaixo podem ver as fotos que tirei na própria plantação, que é linda, grande e com uma vista maravilhosa para o mar.




A partir daqui podem ver uma parte da plantação de chá, organizada em fileiras, que se estende por uma aérea de 32 hectares, e a partir da qual se produz cerca de 33 toneladas de chá por ano nas variedades de preto e verde.



Imagens Homes in Colour
SaveSave

Sem comentários