Um pouco da minha história

Por vezes os caminhos errados, levam-nos aos locais certos.
do filme indiano "A Lancheira"

Imagem Homes in Colour

Não sei se já vos aconteceu olhar para trás e ter uma clara consciência que determinado acontecimento ou situação mudou por completo o curso da vossa vida. Eu por acaso tenho um bem marcado na minha, que digo muitas vezes na brincadeira que foi o mudar de página para uma nova fase. Aconteceu de uma forma totalmente inesperada, e fez-me descobrir a grande paixão que hoje tenho pela decoração, tecidos e padrões. E tem justamente a ver com a pessoa que desenhou o padrão da  almofada acima, que se chama Margo Selby, e que é uma reconhecida designer inglesa de têxteis para decoração e acessórios de moda, em cujo atelier, situado no centro de Londres, tive a sorte de trabalhar em 2009.

Coleção desenhada por Margo Selby para a Osborne & Litte, disponível na Pedroso&Osório

Mas comecemos pelo princípio. Ao contrário do que possam pensar, numa fui desde a adolescência  uma apaixonada por decoração (na verdade era até bastante desorganizada e caótica no meu quarto) Gostava mais de arte. E justamente por gostar tanto de tintas, cores e texturas, acabei por ir tirar o curso de artes plásticas na Faculdade de Belas Artes em Lisboa. No último ano do curso comecei a trabalhar como Monitora no Serviço Educativo do Museu Berardo (no CCB) mas aos poucos comecei-me a fartar e a pensar que fazer visitas guiadas em exposições não era o trabalho que queria fazer o resto da minha vida.

                                                 Coleção desenhada por Margo Selby para a Osborne & Litte, disponível na Pedroso&Osório

O problema é que com um curso de Artes Plásticas às costas vi-me de mãos e pés atados pois não sabia fazer muita coisa e por isso não tinha muitas opções (foi na altura que dei por mim tremendamente arrependida de ter tirado o curso que tirei). Foi aí que comecei a pensar que se calhar gostaria de ser designer gráfica. E assim, no Verão de 2008, em férias com os meus primos que trabalhavam em Londres, a Sarah (a mulher do meu primo) convidou-me para ir fazer um estágio na empresa de design onde ela trabalhava, a Lewis Moberly, para ver se gostava mesmo de design antes de me aventurar por essa área. E assim foi, comprei bilhete de ida e volta com o plano de ficar uma semana na capital inglesa.

                                                  Coleção desenhada por Margo Selby para a Osborne & Litte, disponível na Pedroso&Osório
Ao contrario do que alguma vez imaginei (pois eu era super tímida e muito agarrada à vida familiar) já não apanhei o voo de regresso e adaptei-me de uma uma forma incrivelmente fácil e rápida à vida agitada de Londres. Uma semana depois pedi para continuar a estagiar mais um tempo na empresa (ao qual me disseram que sim) e dei por mim completamente apaixonada pela minha vida naquela cidade fascinante.  No entanto, parece que a vida ainda tinha outros planos para mim.

                                                  Coleção desenhada por Margo Selby para a Osborne & Litte, disponível na Pedroso&Osório

E de um dia para o outro a minha vida deu uma nova reviravolta. A minha prima Sarah (que tem imenso bom gosto e uma casa super bonita) pediu-me se eu lhe podia fazer o favor de lhe ir buscar uma almofada que tinha encomendado numa loja ali perto, chamada Margo Selby.  Eu, que gostava de andar sempre a passear de um lado para o outro (na altura fiquei a conhecer melhor Londres que Lisboa) disse logo que sim, e no momento que entrei na loja/atelier/galeria da Margo Selby fiquei com os olhos a brilhar e completamente vidrados nas suas peças, tecidos, almofadas, mantas, papel de parede, lenços, e afins. Nesse dia fui para casa com o coração a bater mais rápido e a sentir que tinha finalmente encontrado uma coisa que adorava ainda mais do que design gráfico: padrões, tecidos e decoração.

                                                  Coleção desenhada por Margo Selby para a Osborne & Litte, disponível na Pedroso&Osório

Decidi então ir tirar um curso pós laboral de design têxtil no Saint Martins Collage of Art and Design e em Janeiro de 2009 apareci na loja da Margo Selby a perguntar se ela por acaso não se importaria de me aceitar para um estágio visto que era completamente fã do trabalho dela (e ainda sou) e que gostaria muito de aprender mais. Para minha grande alegria ela disse que sim (na altura em Londres esta prática era super comum) e comecei assim o ano mais entusiasmante do ponto profissional da minha vida. Aprendi imenso, desde costurar, desenhar padrões nos programas de computador, tirar fotos e colocar na loja online, participar em feiras de profissionais, entre muitas outras coisas.

                                                  Coleção desenhada por Margo Selby para a Osborne & Litte, disponível na Pedroso&Osório

Quis o destino que eu ficasse mesmo algum tempo pelo atelier da Margo, e em Março desse mesmo ano a Direção geral das Artes lançou um programa de bolsas para portugueses terem experiências profissionais no estrangeiro e eu, mesmo participando no ultimo dia, fui aceite, tendo ficado num total de 1 ano e uns meses a trabalhar no seu atelier. Foi uma experiência verdadeiramente enriquecedora!

Quando uns tempos depois regressei a Portugal, a minha cabeça fervilhava de ideias e projetos e comecei a fazer as minhas primeiras experiências, a desenhar os primeiros padrões e a vender os primeiros produtos em feiras e lojas. Criei o blog para me ir inspirando a mim e aos outros e hoje, para além de trabalhos de design gráfico que faço, gestão de redes sociais e fotografia, faço ainda desenhos de tapetes (que também fiz quando estava no atelier da Margo) que adoro! Se me acompanham por aqui devem saber que também tenho outra paixão mais ou menos recente (a cerâmica) que ando a explorar e desenvolver  e que em breve hei-de partilhar por aqui.

Embora um pouco longa, aqui fica um pouco da minha história, para que desse lado também me possam conhecer um pouco melhor e consigam entender o que me motiva no meu trabalho e no meu blog. É a prova de que muitas vezes (como na frase que escrevi no início do post) os caminhos errados levam-nos, efetivamente, aos sítios certos. Não concordam? Até amanhã!

SaveSaveSaveSave

2 comentários

  1. Adorei encontrar este blog e ler a tua história. Deveras inspiradora! Um beijinho de Braga :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Gina, que bom saber ❤️😊 Muito obrigada! Beijinhos

      Eliminar