This week...

Bom dia! Aqui ficam algumas das peças que esta semana andei a namorar :)

1 // Estes maravilhosos acessórios em pele feitos à mão da This is Ground  ajudam a manter os cabos dos ipad´s, iphone, laptop e afins arrumados e organizados. Foto via cocoandmingo.com
2 // Chávena de chá desenhada da baileydoesntbark.com. Foto via jacquelynclark.com
3 // Gosto de mealheiros e este da fermliving é um dos meus preferidos. Assim dá gosto poupar :)
4 // Adoro esta série de prints da autoria de Hedi Xandt para a revista Tush, em que ele desconstroi uma série de garrafas de perfumes de luxo, reduzindo-as a uma linha simples mostrando apenas os seus componentes no estado natural. via yellowtrace.com.au

Até para a semana!

Design Espanhol

Hoje trago-vos o trabalho de Sílvia Cenãl, uma jovem designer madrilena que recentemente lançou a sua própria marca no mundo do design. Conjugando a simplicidade da madeira com cores fortes e vivas, Sílva Cenãl apresenta uma linha de produtos muito jovem com uma estética muito própria, que se destaca pela originalidade e criatividade. Gosto particularmente dos bancos Kupela (em abaixo), inspirados nos barris de vinho e dos candeeiros Macaron, inspirados no doce que lhes dá nome.



Home Tour #1



Bom dia! Hoje vou levar-vos numa pequena home tour por uma casa colorida, divertida e com uma personalidade muito própria. A proprietária, Antoinette,  vive na Holanda com o maridos e dois filhos pequenos. Adoro o fundo branco, sob qual  se destacam os apontamentos de cor, dentro de um estilo decorativo descontraído, leve e jovial. Gosto!
P.S: Se puderem não deixem de espreitar o instagram de Antoinette pois vale a pela conhecer! Aqui ficam um conjunto de algumas das minhas preferidas :)

Guardar Memórias

Nesta era digital em que vivemos os álbuns foram um daqueles objetos que praticamente desapareceram das nossas casas. Tiramos hoje mais fotos do que alguma vez tirámos mas estas ficam bem guardadas no nosso computador e daí não saem. No entanto hoje descobri estes álbuns deliciosos da Studio Calico que me deram imediatamente vontade de regressar a esse tempo em que as fotografias eram menos descartáveis e talvez guardadas e arrumadas com um pouco mais de tempo, carinho e cuidado. Afinal, são as nossas memórias que ali estão "para mais tarde recordar" :)
Estes são próprios para fotografias do instagram e existem em 5 cores diferentes: dourado, preto, coral, azul turquesa e cinzento. Para além das fotos ainda permitem colar, recortar e juntar outros



No mundo do Monocromatismo

"A lot of people try to claim that black and white aren´t really colours, but that´s not remotely true (...). I believe that black and white are the most beautiful colours of all."
Tenka Gammelgaard


Num mundo de poluição visual e de excesso de informação, encontrar o trabalho de artistas como Tenka Gammelgaard pode ser bastante relaxante e reconfortante para o olhar e para o espírito. Embora eu adore cor, cada vez mais acho que esta só tem força e interesse se utilizada com conta, peso e medida. O excesso de cor também pode cansar, mesmo para aqueles que a adoram. Talvez por isso esta artista dinamarquesa tenha escolhido viver e pintar o mundo a preto e branco.
A trabalhar com uma paleta monocromática há mais de 30 anos, Tenka diz que estas duas cores ainda são para ela um desafio e uma espécie de  puzzle que ainda continua e explorar. "When you mix all colours together, the end result is black; I therefore consider black as a colour that contains a lot. The opposite, white, contains just as much in its simplicity because it is so broad."
O seu apartamento em Copenhaga, de linhas puras e elementos decorativos bastante gráficos, é também o reflexo desta sua paixão pelo preto e branco, bem visível em toda a decoração, desde o padrão às riscas da sua sala aos seus pincéis personalizados.



SlowWood

"SlowWood creates pieces for home that are elegant, natural and made to last."

Bom dia! Hoje venho dar-vos a conhecer uma marca de mobiliário chamada SlowWood  que gosto particularmente, não só pelas qualidades estéticas dos seus produtos, mas por toda a filosofia subjacente à marca. Como o  próprio nome sugere, cada peça é produzida lenta e cuidadosamente de forma a poder receber todo o cuidado e atenção necessária e indo ao encontro da filosofia de vida da sua criadora, Christien Starkenburg. Com um design simples e puro, cada peça é delicadamente  produzida por artesãos locais, promovendo o handcraft e a sustentabilidade e finalizada com acabamentos 100% naturais e tinta mineral.
Comparada com as grandes marcas e grande empresas em que o que importa é produzir sempre mais e mais descurando muitas vezes os detalhes e a qualidade,  a SlowWood é como uma lufada de ar fresco!

 

Cobre: a cor-sensação de 2015

Bom dia! A Dulux, prestigiada marca dentro do sector de tintas, anunciou recentemente a cor do ano de 2015: o cobre. Em pequenos pormenores na decoração ou de uma forma mais assumida e arrojada, o conjunto de imagens que vos trago hoje mostra-nos como como esta cor metalizada se tem tornado uma tendência e ganho cada vez mais adeptos. Gosto!
Até para a semana!

O ESTRANHO ANO DE VANESSA M.

No seguimento da promessa que este Verão fiz a mim mesma de dedicar um pouco mais de tempo da minha vida à leitura, terminei ontem o livro que me tem acompanhado nestas últimas semanas, "O Estranho ano de Vanessa M." E não consegui deixar de sentir o que a Beatrix Potter dizia sempre que terminava um livro; “I do so hate finishing books. I would like to go with them forever” Pois no fim, quando se gosta de um livro, fica-se assim com uma espécie de saudade.
Através dos meios de comunicação social já tinha ouvido falar de Filipa Fonseca Silva, por ter sido a primeira escritora portuguesa a entrar no Top 100 da Amazon. Tal feito chamou-me a atenção e aguçou-me a curiosidade. Que tipo de livro teria conseguido tal proeza? A verdade é que quando há umas semanas atrás este livro me veio parar às mãos não hesitei muito em comprar. O bom título e a boa capa ajudaram-me na escolha mas confesso que acima de tudo, estava curiosa.
A pequena sinopse na contracapa revelava palidamente o que iríamos encontrar: uma personagem de nome Vanessa que enveredava numa viagem interior de autodescoberta que a faria refletir sobre o sentido da sua vida e das escolha que até então tomara. Prometia. Geralmente gosto de personagens que se encontram naquilo que podemos chamar de crise. E assim, frase após frase, página após página, fui conhecendo e acompanhando os dilemas, dúvidas, medos e escolhas de Vanessa, que ao longo de 9 meses (o tempo de gestação da sua nova vida) revoluciona por completo aquilo que tinha sido a sua vida até então. Com sentido de humor e inteligência, Filipa Fonseca Silva faz-nos ganhar um carinho especial pela nossa heroína, e consegue surpreender-nos até ao final do livro. E foi esse um dos aspetos que mais gostei, é que este não é um livro previsível. A poucas páginas do fim o coração ainda bate curioso e expectante em relação ao seu desfecho.
No final aprendemos com Vanessa que a mudança acarreta algum sofrimento mas que também é libertadora e ajuda-nos a evoluir. Que as escolhas que fazemos têm sempre um preço e implicam inevitavelmente ganhos e perdas. E que seguir a nossa verdade interior em detrimento das opiniões dos outros é a única forma de sermos fieís a nós próprios e alcançarmos a felicidade pretendida.
Obrigado Filipa pelo teu livro que tornou estes meus dias mais empolgantes e animados!



O outro livro da autora já está na minha lista :)